Ano letivo 2017/2018

As nossas experiências...



Espuma, espuma e mais espuma...

Para esta experiência usámos três copos:
1º copo = Vinagre + detergente da loiça + corante
2º copo = Bicarbonato de sódio + água
3º copo = Juntámos o conteúdo do 1º copo mais o conteúdo do 2º = ESPUMA!!!! ESPUMA!!! ESPUMA!!!
Concluímos que a espuma produzida, só foi possível graças ao CO2 libertado pela reacção entre o bicarbonato de sódio e o ácido acético (vinagre).

As nossas experiências...


O esparguete dançarino...

Para fazermos o esparguete dançar, fizemos o seguinte: Água + esparguete + corante (para animar o baile) + bicarbonato de sódio + vinagre (ácido acético) = CO2 (gás formado da reacção do vinagre com o bicarbonato) ou seja o esparguete dançou...

As nossas experiências...


Os Fungos…

Para percebermos como os fungos se desenvolvem, adicionámos 10 gotas de água a três fatias de pão.
Colocámos duas fatias dentro de um saco plástico (uma em cada saco) e atámos muito bem. A terceira fatia e uma das que metemos num saco, colocámos junto à janela, a outra pusemos dentro de um armário escuro.
Ao fim de uma semana, observámos que as fatias que estavam dentro dos sacos tinham muito bolor e dessas a que esteve no armário era a que tinha mais.
Concluímos que o bolor é um fungo e os fungos são seres vivos que gostam de humidade e que crescem bem no escuro.

O Lobo e o Cabrito

Era uma vez um cabrito muito novinho que gostava de passear pela floresta.
Certo dia, numa tarde de sol, enquanto passeava pela floresta encontrou um lobo e ficou muito aflito, começando a gritar:
- Socorro, socorro, ajudem-me… há aqui um lobo… por favor ajudem-me!...
- Não tenhas medo. – disse o lobo.
- Porquê que dizes isso? Não me vais comer? – perguntou o cabritinho trémulo de medo, e sem esperar pela resposta do lobo desatou a correr o mais rápido que podia.
O cabrito não tinha acreditado no lobo e por isso quando chegou à aldeia foi dizer às pessoas que o lobo queria comer toda a gente, que ele era muito MAU!!! As pessoas ao ouvirem o relato do cabrito diziam:
- Não sejas exagerado e mentiroso, o lobo que tu viste é BOM, se continuares a mentir ninguém vai acreditar mais em ti.
O cabrito não deu ouvidos a ninguém e continuou a mentir sobre o lobo. Em pouco tempo ninguém falava para o cabritinho, ignoravam-no completamente. Ele então começou a perceber que se queria ter amigos tinha de deixar de mentir, logo decidiu ir pedir desculpa ao lobo e a todos os seus amigos.
Moral da história: Se queremos ter amigos não devemos mentir.
Laura, Nair e André A.

A Bruxa gananciosa

Era uma vez uma bruxa chamada Carlota, que era muito gananciosa, ela queria o trono do Reino das Fadas.
Certo dia enquanto passeava, encontrou um sapo, pegou nele e levou-o para o seu castelo. Assim que chegou ao castelo foi imediatamente buscar o seu livro de Poções Mágicas, desfolhou, desfolhou e nada, não encontrava o que queria. Resolveu ir procurar nos seus livros antigos que tinha guardados na sua biblioteca, pegou num livro muito antigo da sua tetra-tetra-tetra-avó, onde encontrou a poção que queria na décima página.
A receita levava muitos ingredientes estranhos, como é costume serem as poções das bruxas, esta poção levava: 3 pernas de rã, 6 olhos dos seus antepassados, pó de fada e óleo de magia negra. A bruxa juntou muito bem todos estes ingredientes e deu ao sapo para ele beber. O sapo imediatamente transformou-se num lindo cavaleiro, e sem perder tempo a bruxa ordenou:
- Vai salvar a princesa, para que eu possa governar o Reino.
O cavaleiro recusou e a bruxa ficou tão furiosa que lançou sobre ele a restante poção que ainda estava no caldeirão e ele ficou velho e apaixonado pela bruxa, e novamente ela ordenou-lhe:
- Vai salvar a princesa, para que eu possa governar o reino.
O cavaleiro lá foi pelo bosque tentar encontrar o castelo onde estava a princesa, depois de muito caminhar encontrou o que procurava.
O portão do castelo estava fechado, então ele com toda a sua força e coragem empurrou o portão, mas teve uma grande surpresa, apareceu um enorme dragão a cuspir bolas de fogo. O dragão queimou-lhe a espada e ele teve de fugir a sete pés.
A bruxa nunca mais o viu, terá que encontrar outro sapo e fazer outra poção...
Plim, plim, plim esta história chegou ao fim.

Duarte e Rafael