Ano letivo 2016/2017

Se eu fosse uma folha...

Eu sou um menino chamado João, o meu sonho era ser uma folha, navegar, voar etc…
Certo dia de manhã, pronto a ir vestir-me, vi que estava na rua, pendurado num plátano.Logo vi que o meu sonho tinha-se realizado, e disse:
- Uau!!! Finalmente o meu sonho realizou-se!
Depois disso, veio uma grande ventania e abanou as árvores, folhas, frutos, arbustos e até um grilo foi arrastado para o riacho, finalmente, a ventania terminou e eu tinha sido arrancado do plátano. Mas a última brisa arrastou-me para o riacho e vi o grilo a afogar-se, ele subiu para cima de mim e servi de barco.
- Olá. O que andas a fazer? - Perguntei eu.
- Eu ando à procura do castelo da princesa Oriana. Eu vivia lá, mas durante uma tempestade, a água e o vento arrastaram-me até aqui.
- Ah! Ah! Ah! - Ri-me eu.
- Porquê que te estás a rir? – Perguntou o grilo.
- Estou a rir, porque este riacho vai dar ao castelo.
E assim foi, passado alguns minutos chegámos e o grilo pôde ficar junto da Oriana.
«Ser folha foi giro» mas à noite tudo voltou ao normal, ou seja, eu, o João, deixei de ser uma folha…

Plim, plim, plim esta história chegou ao fim…

Autor: Duarte Machado

Sete-Estrelo...


Debaixo de umas pedrinhas no campo,
Morava contente a família pirilampo,
Eram a mãe e o papá, mas não só,
Também os pirilampozinhos e a avó.

Nas noites de Verão iam passear,
Faziam um vistão todos a brilhar,
Os pais eram muito felicitados,
Porque tinham filhos bem criados.
Todos são saudáveis felizmente,
Dizia a mãe muito contente,
E que Deus os avivente.

Houve quem dissesse,
Que há muito não aparece,
Numa noite muito estrelada,
Nenhuma como esta ninhada.
E era tal a simpatia,
Que a bicharada dizia,
Sobre o grupinho, ao vê-lo,
Aí vem o Sete-Estrelo.

Eram sete estrelinhas,
Pareciam umas luzinhas,
Mas eram os pirilampos,
Que dançavam nos campos.

Pequenosgrandesescritores (adaptado de Maria Soares)

Pirilampo ou Vaga-lume:
É um insecto. Alimenta-se de lesmas e caracóis.

A Biodiversidade na nossa escola...

Durante o 1ºPeríodo (Outono):





Natal - Imprime e pinta...


As nossas experiências...


O ovo mágico:
Para observarmos a magia do ovo fizemos o seguinte:
Algodão encharcado em álcool + fósforo acesso em cima do algodão + ovo cozido sem casca no gargalo do frasco = O ovo "puxado" para dentro do frasco sem ninguém lhe tocar.
Concluímos com esta experiência, que a chama produzida dentro do frasco consumiu o oxigénio e desta forma a pressão do ar no interior diminuiu, logo a pressão no exterior do frasco "empurrou" o ovo para dentro.